Arquivo da tag: controle financeiro

Dobramos o faturamento priorizando o emprego das pessoas

Achamos uma forma sustentável de manter o emprego das pessoas na pandemia pela gestão financeira.

No ano da pandemia (2020), dobramos o faturamento de venda com um trabalho de gestão financeira! Enquanto o mercado se retraía, devido à baixa nas vendas, saímos à frente, trabalhando a partir dos números do próprio negócio e com uma nova estratégia comercial. Em vez de vender produtos, nós estabelecemos um negócio: vendemos a solução para resolver a dor do cliente. 

Embora essa fosse uma empresa consolidada no mercado e financeiramente saudável, seus resultados eram constantes até o ano de 2019. Então analisamos, juntos, os números do negócio para identificar práticas administrativas e financeiras da empresa que poderiam mudar. Com base nesse estudo, estabelecemos metas e criamos um plano estratégico.

A pandemia ameaçou as metas de vendas e o emprego das pessoas

Ainda sem a chegada da Covid-19, iniciamos o ano de 2020 acima da meta, obtendo êxito na execução do nosso planejamento. Porém, no final de fevereiro o vírus chegou ao Brasil e a nossa realidade mudou, pois as vendas começaram a cair. 

Assim, com menos dinheiro entrando, um time de funcionários ociosos e a folha de pagamento “pesando” no bolso, começamos a nos perguntar: “Vamos mandar funcionários embora?”. Mas não era isso o que nós queríamos, por entender que essas pessoas precisavam do trabalho. Não eram números, mas vidas que estavam em jogo! 

Então decidimos rever o plano e buscar uma maneira sustentável de privilegiar o emprego das pessoas. Com mais saídas do que entradas, precisávamos cortar (ou suspender) algumas contas de forma a manter o pagamento dos salários.

Sendo assim, fizemos um levantamento de todas as contas da empresa e vimos que a folha de pagamento tinha o mesmo valor dos impostos. Logo, interrompemos o pagamento dos impostos, deixando para negociar com o governo posteriormente, e mantivemos a equipe.

A empresa remou contra a maré e saiu na frente da concorrência

Só que trocar a conta dos impostos pela conta da folha não resolveria o problema se essas pessoas permanecessem ociosas e improdutivas. Foi quando resolvemos seguir o caminho contrário ao da maioria: no mês que as vendas mais caíram, seguramos todas as contas, pegamos o estoque que já tínhamos e aceleramos a produção.

Nós sabíamos que mais adiante o mercado voltaria a se movimentar e a procura aumentaria. Consequentemente, enquanto a concorrência buscasse recursos para se reerguer, visto que provavelmente teria de recomeçar a produção (e talvez contratar novos colaboradores), nós já estaríamos prontos para atender o nosso público!

Privilegiar os empregos possibilitou dobrar o faturamento

Assim planejamos, nos preparamos e saímos à frente, privilegiando as necessidades das pessoas (funcionários e clientes), aproveitando com sabedoria as oportunidades que a crise nos trouxe. O resultado desse trabalho foi dobrar o faturamento em um ano economicamente difícil, construir uma nova fábrica e não só manter, mas aumentar os empregos para a população.

Se você, como este meu cliente, tem uma boa empresa, mas deseja alcançar outro patamar, entre em contato. Vamos encontrar, juntos, a oportunidade que está dentro do seu negócio e fazer acontecer!

Quero fazer a empresa crescer

.

Imagem de Free-Photos por Pixabay

Crenças limitantes geram problemas financeiros na empresa

A solução para os problemas financeiros pode estar em atitudes inibidas por crenças limitantes ilógicas.

Menino sentado em cadeira de empresário - conceito: crenças limitantes

Será que os problemas financeiros da minha empresa têm sido frequentes por causa de crenças limitantes? Mas como as minhas crenças afetariam o meu negócio? – você pode se perguntar.

Primeiro é importante entender o que realmente significa o termo “crenças limitantes”. No sentido literal, podemos dizer que são coisas que, segundo o que você acredita, o impedem de realizar/limitam determinadas ações.

Quais são as crenças limitantes?

São coisas nas quais acreditamos, nossa forma de pensar (no caso, relacionadas a dinheiro) e que nos afastam ou nos impedem de atingirmos nossos objetivos, mesmo quando temos todas as informações racionais necessárias para fazê-lo. Essas crenças funcionam como mecanismos de autossabotagem.

Por incrível que pareça, não há uma lista pré-determinada de crenças limitantes. Isso porque não são exatamente as crenças que nos limitam, mas o conceito que formamos a partir delas, seguido das nossas escolhas. 

Quer um exemplo prático de crenças limitantes?

Por exemplo: o filho de um empresário bem sucedido cresce estudando em boas escolas e recebendo tudo o que precisava sem grande esforço. Durante a sua juventude, acompanha o trabalho do pai na empresa para aprender, mas não coloca a mão na massa porque não precisa.

Até que o pai fica doente e, no leito do hospital, pede para o rapaz continuar a negociação com os clientes. Eles não podiam perder o investimento que haviam feito; estavam contando com essas vendas! O filho arregala os olhos e exclama: Eu?!.

O pai insiste, dando as devidas instruções, e ele aceita. Só que, na hora da reunião, ele não sabe muito bem como conduzir e parece que tudo o que havia aprendido na teoria não valia de nada naquele momento. Naquele dia, não houve acordo com os clientes, a empresa perdeu um pouco de dinheiro e o rapaz começou a duvidar da própria capacidade.

Uma semana depois o pai sai do hospital e, de volta à ativa, remarca a reunião e consegue reverter o caso, enquanto afasta o filho da linha de frente novamente. Então o rapaz lembrou-se de todas as vezes que tentou ajudar o pai nas vendas e ouviu que “o filho do dono não tinha que trabalhar”.

Se antes essa frase era agradável de ouvir, pois o deixava em posição confortável, agora passou a ser um sinal de derrota, como se endossasse a suposta incompetência deste jovem para os negócios. Assim, quando o empresário faleceu, muitos anos depois, deixando o filho (já na meia-idade) como principal herdeiro da empresa, o negócio durou mais dois anos e logo fechou. 

Como essas crenças podem fazer um estrago tão grande?

No exemplo dessa história, nós temos pelo menos duas crenças limitantes que fizeram a empresa perder dinheiro e depois fechar:

  1. “O filho do dono não tem que trabalhar.” – Esse empresário provavelmente acreditava que poupar o filho do trabalho e das preocupações o manteria protegido e, portanto, seria melhor para a sua criação. Porém, ele se esqueceu de prepará-lo para a vida (e, consequentemente, para dar sequência ao negócio da família).
  1. “Eu sou incapaz de realizar.” – Por falta de incentivo e excesso de proteção na infância e juventude, o filho não desenvolveu sua autoconfiança e autonomia para realizar. Ele conhecia todos os procedimentos da empresa, por ter acompanhado o pai por tantos anos, mas não se sentia capaz de colocar em prática por não ter colocado a mão na massa enquanto aprendia a teoria.

O curioso é que tanto o empresário quanto o seu sucessor tinham plenas condições de fazer diferente para a empresa continuar firme no mercado. Entretanto, nenhum dos dois teve a oportunidade (que você está tendo agora) de receber esse alerta sobre as crenças limitantes e, portanto, não conseguiu perceber onde estavam os bloqueios. 

Sabe por que é tão difícil perceber espontaneamente? Porque as crenças limitantes são introduzidas na mente de forma ilógica e se misturam aos princípios que construímos ao longo da vida. Então se tornam parte de quem somos e de como agimos. Foi exatamente o que aconteceu com esses dois: eles não sabiam que esses conceitos, tão enraizados em suas mentes, eram crenças limitantes que poderiam ser repensadas.

O que tem impedido você de resolver os problemas financeiros da empresa?

Todos nós temos crenças limitantes; isso é uma questão cultural. Porém, não precisamos ficar fadados ao insucesso por causa de conceitos que, se avaliarmos, não fazem sentido para nós. Lembre-se de que nem tudo funciona exatamente da forma como disseram a você na infância. Por isso, avalie os seus pensamentos e atitudes, procure entender as verdadeiras razões dos porquês que você carrega. Afinal:

  • sua empresa não precisa ser pequena só porque você vem de uma família menos abastada; 
  • seu financeiro não precisa depender das variações do mercado e dos bancos para ter liquidez;
  • sua gestão financeira não precisa ser na base do erro e acerto porque “sempre foi assim”…
  • os outros não são melhores do que você;
  • ganhar dinheiro não é muito difícil;
  • dinheiro não é a raiz de todo mal.

Existem alternativas muito mais simples e efetivas para lidar com os seus problemas, todas a apenas um questionamento de distância. Então se dê essa oportunidade e se abra para o novo! Questionar suas possíveis crenças limitantes e experimentar o diferente fará com que você mesmo se surpreenda com o que é capaz de realizar em situação de crise.

.

Foto de Courtany por Pixabay

Como facilitar a gestão financeira do negócio

Organização e planejamento são o segredo para tornar a gestão financeira do negócio mais prática e segura.

Como facilitar a gestão financeira do negócio

Culturalmente, o brasileiro não está acostumado a agir com base em planejamentos prévios, em diversas áreas da vida. Sendo que, por atribuir os insucessos à “má sorte”, raramente percebe as oportunidades que perde com isso. Porém, quando se trata da gestão financeira do negócio, a falta de planejamento leva a problemas financeiros que denunciam a necessidade urgente de mudanças.

Se esse for o caso da sua empresa, comece implantando um Fluxo de Caixa com plano de contas gerencial. Em seguida, estabeleça uma rotina diária de atualização e monitoramento das informações. Dessa forma, você já vai começar a identificar as causas da falta de liquidez e a ter uma ideia do que precisa ser ajustado.

Como ter certeza de que a estratégia funciona?

Para saber se a sua estratégia está funcionando e se preparar para imprevistos, é preciso enxergar além, a partir de números reais. Por isso é importante você entender a situação financeira da empresa no presente e contar com uma ferramenta que o ajude, com os seus lançamentos, a projetar as previsões futuras.

Então, após inserir no Fluxo de Caixa todos os lançamentos, incluindo contas a pagar e a receber, você precisará registrar os valores previstos para os próximos meses. Lembrando que essa previsão deve ser embasada nos números do presente e no planejamento viável a curto e médio prazos.

Se, no decorrer dos meses, você estiver utilizando o Sistema Fluxo de Caixa Online, a ferramenta disponibilizará dados comparativos entre o que você registrou como previsto e o que, de fato, foi realizado (relatório previsto x realizado). São essas as informações que deverão nortear os ajustes estratégicos do seu planejamento para que a empresa se mantenha em uma zona de segurança financeira.

Como aplicar na minha gestão financeira do negócio?

Independentemente de qual seja o atual contexto financeiro da empresa, não entregue o seu futuro à sorte! O planejamento vai ajudá-lo a abrir portas para o seu negócio e a protegê-lo financeiramente, mesmo em tempos de crise.

Além disso, planejar e monitorar os resultados na gestão financeira do negócio para ter liquidez e rentabilidade é bem mais fácil do que lidar com frequentes emergências financeiras sem estar preparado. Portanto, simplifique a sua gestão financeira e faça acontecer: experimente gratuitamente o Sistema Fluxo de Caixa Online na sua empresa! 

Teste grátis por 45 dias

Quer calcular o lucro diário do caixa? Isso não será possível!

O saldo disponível no caixa é a liquidez da empresa, portanto, o que sobra no caixa não é o lucro do negócio.

Quer calcular o lucro diário do caixa da empresa? Isso não será possível!

Certa vez me perguntaram se é possível saber o “lucro diário do caixa”. Surpreso com a pergunta e preocupado com esse empreendedor, que provavelmente estava tendo problemas financeiros por considerar o valor em caixa como lucro, decidi ajudar.

Percebi que responder a pergunta, propriamente dita, já não era tão importante quanto alertá-lo para o fato de que a empresa poderia estar perdendo dinheiro por uma compreensão enganosa de seus números

O “lucro diário do caixa” não existe 

Comecei explicando que o que sobra no caixa não é o lucro, mas a liquidez. Ou seja: é o dinheiro disponível para pagar as contas do dia a dia da empresa! Como “lucro” e “caixa” dizem respeito a diferentes informações, não existe “lucro diário de caixa”. O que podemos ter é o lucro de um lado e o saldo diário disponível do outro, em análises diferentes.

Porque o lucro é calculado em uma análise contábil, e independe de o valor negociado com os clientes ter entrado ou não. Já o dinheiro do caixa parte de uma visão gerencial, que considera apenas o que efetivamente entrou e saiu do caixa, independentemente do total negociado. Como em compras/vendas a prazo, que o dinheiro entra/sai aos poucos.

Por fim, esclareci que, com um controle adequado do Fluxo de Caixa é possível calcular o saldo diário disponível. Além de poder usar essa informação, entre outras do Fluxo de Caixa, para tomar decisões acertadas quanto às finanças da empresa. E recomendei a leitura do artigo “O lucro não representa a saúde financeira da empresa“, que tem mais detalhes sobre esse tema e algumas dicas sobre gestão financeira.

A confusão de conceitos compromete a saúde financeira

Depois do ocorrido, fiquei pensando nas situações que tenho presenciado em diversas empresas, quanto à gestão financeira… Então eu me dei conta de que essa confusão de conceitos é relativamente comum entre empresários brasileiros, comprometendo a saúde financeira de muitas dessas empresas. Principalmente quando seus gestores acreditam que estão no caminho certo, pois, assim, continuam no círculo vicioso da falta de dinheiro para pagar as contas do dia a dia, sem entender porque isso acontece.

Em contrapartida, tenho visto que todos aqueles que, mesmo tendo dúvidas ou dificuldade, procuram entender os números do negócio partindo de uma (re)educação financeira conseguem identificar a causa dos problemas financeiros dentro da própria gestão e, com essa informação, tomar as decisões apropriadas para colocar o negócios nos trilhos novamente. 

Por isso, se você tem uma empresa que gera lucro, mas não consegue pagar todas as contas, posso lhe dizer com segurança, mesmo sem conhecê-lo, que você pode encontrar a solução dentro do seu negócio. Quer saber como? Veja o artigo “Olhar Empreendedor – Como ter uma visão completa das finanças”.

Problemas financeiros das empresas que ninguém conta

Conhecer os números do negócio é fundamental para resolver os problemas financeiros das empresas.

Problemas financeiros das empresas que ninguém conta

Um dos principais causadores dos problemas financeiros das empresas é a falta de informação. Assim, a maioria dos empreendedores que me procuram são pessoas formadas e bem instruídas que não conhecem os números do próprio negócio.

Resultado de uma defasagem na educação financeira dos brasileiros, o empreendedor tem a tendência de “evitar” assuntos de finanças. Consequentemente, há muita confusão quanto aos conceitos básicos necessários para a gestão de negócios, gerando bastante descontrole financeiro e a quebra de várias empresas. 

Dicas para melhorar a gestão do seu negócio

Empresas que quebram antes de completar 5 anos

Para você ter uma ideia, uma pesquisa do IBGE apurou que a taxa de sobrevivência das empresas após 5 anos é de 36,3%. Ou seja: 63,7% das empresas brasileiras quebram antes de completar 5 anos.  

Esse é um número alarmante se pensarmos que há uma espécie de padrão de comportamento que gera os grandes problemas financeiros das empresas. Porque enquanto o empresário desperdiça tempo, energia e dinheiro “apagando incêndios”, sua oportunidade de tirar a empresa do buraco financeiro vai passando. 

Assim, sobrevivem (temporariamente) com frequentes soluções paliativas como empréstimos, desmobilização, antecipação de recebíveis, sonegação de impostos… até o dia que não conseguem mais sustentar o negócio.

É claro que é difícil quando o dinheiro acaba, tudo “se torna urgente” e parece não haver mais tempo para planejar! Entretanto, agir por impulso, pensando apenas na resolução imediata, só intensifica o problema que, na realidade, pode ser identificado e resolvido dentro do negócio.

Como resolver os problemas financeiros das empresas

A única forma de sair desse círculo vicioso que leva as empresas a quebrarem é colocando a mão na massa! Não tem jeito: se for para salvar o negócio, você vai precisar buscar informação, colocá-la em prática e se atentar à sabedoria dos mais experientes.

Portanto, comece agora a “mudar esse jogo” buscando conhecimento! Hoje em dia, com o alcance da web, a informação está à disposição de todos nós e há muito material gratuito de qualidade que você pode consumir.

Então, para ajudá-lo a dar o primeiro passo, convido você a acessar a página de conteúdo gratuito do Fluxo de Caixa Online, onde você poderá baixar e-books com dicas para resolver os problemas financeiros das empresas e com histórias de empresários que conseguiram dar a volta por cima. Clique e aproveite essa oportunidade de se preparar para sair do vermelho!

Conteúdo gratuito de finanças

Como sobreviver aos problemas econômicos

Apesar das adversidades, a pandemia tem trazido várias oportunidades. Tudo depende de como se vê a situação!

Empresário se reinventando em home office para lidar com problemas econômicos na quarentena

Estamos passando por um período bastante desafiador, com a COVID-19. Assim, entre os esforços para conter a pandemia e os consequentes problemas econômicos, muitos empreendedores se sentem de mãos atadas enquanto o negócio afunda. Contudo, o atual contexto também traz oportunidades. Tudo depende da forma como se vê a situação!

É natural a preocupação com as finanças, visto que, com as contas chegando, as portas fechadas e a incerteza do amanhã, parece realmente impossível sobreviver a essa crise. Entretanto, não são os acontecimentos ao redor que definirão o sucesso ou fracasso da sua empresa, mas as suas atitudes diante dos fatos.

Problemas econômicos durante a pandemia

O que você está lendo/escutando é sintoma ou raiz do problema. Não se trata apenas da pandemia, do isolamento social e da situação econômica do país, mas da dificuldade cultural do brasileiro com o empreendedorismo e as finanças.

Então, leve em conta as informações divulgadas, mas procure recebê-las com sensatez, buscando entender suas reais causas e visualizando suas prováveis consequências.

Nesta hora é importante ter uma opinião própria e, principalmente, procurar desmentir o impossível. Porque sempre há algo que se possa fazer para transpor obstáculos, ainda que ninguém o tenha feito até o momento!

Para além dos problemas financeiros

Portanto, faça planos e não se importe com os atrasos que os eventos impuseram. Aproveite a quarentena para refletir, compreender os números do seu negócio e redirecionar os trilhos, sem afobação. O tempo será um aliado importante para você!

Aja com prudência, mas não tenha medo de errar, pois os erros fazem parte do processo e sempre trazem ensinamentos. Lembre-se que ninguém nasce sábio neste planeta. A sabedoria é conquistada com o aproveitamento das circunstâncias.

Por isso, troque a lente dos óculos da vida e tente enxergar o que você precisa enfrentar e para que isto vai ajudá-lo. Você vai perceber que, além de ajudar a reerguer o seu negócio em meio aos problemas econômicos decorrentes da pandemia, sua nova postura vai trazer a satisfação de ver outras pessoas beneficiadas com suas inovações.

Foto de Jack Sparrow por Pexels