Logo Projeto DSD Consultores

Administração, Finanças, Fluxo de Caixa, Planejamento - 19/07/2019

Impacto dos Prazos de Pagamento e Recebimento na Empresa

O descuido com os prazos de pagamento e recebimento pode comprometer a saúde financeira do negócio.

Executiva com formulário de imposto fazendo cálculos - conceito: prazos de pagamento e recebimento

Quem acredita que dinheiro em caixa é motivo de tranquilidade financeira e o utiliza sem critério pode ter surpresas desagradáveis. Pois, sem administrá-lo conforme os prazos de pagamento e recebimento, a quantia gasta hoje pode faltar amanhã para pagar contas.

Entenda porque falta dinheiro para pagar as contas

A grande cilada é que quase sempre os dias de pagamento não coincidem com os dias de recebimento, mas quando se tem dinheiro em caixa fica a impressão de que está “sobrando”. E se tem “sobra”, imagina-se que não há necessidade de ter controle. Então chega a data do pagamento e não tem o suficiente.

Há também os casos em que é feita uma compra sem se preocupar com a lacuna que ficará entre a data de pagamento e recebimento. Por exemplo, quando a empresa compra à vista e vende a prazo: irá demorar alguns meses para receber e, se não tiver capital de giro neste período, faltará dinheiro para pagar as contas.

Como ajustar os prazos de pagamento e recebimento para ter liquidez

A melhor forma de se organizar para ter liquidez é fazer um planejamento do saldo de caixa no futuro. Isso deve ser feito por meio de uma previsão de entrada e saída diária e detalhada. Assim, esses valores podem ser distribuídos em um Fluxo de Caixa com plano de contas gerencial que mostre como será a movimentação financeira a cada dia.

Dessa forma será possível saber:

  • para quando está prevista a data de entrada das vendas à vista;
  • data de cada parcela das vendas a prazo;
  • outras entradas e qualquer recurso utilizado, como empréstimos e antecipações;
  • data prevista para pagamento de impostos, comissões, custos com mercadoria e/ ou matéria-prima e as despesas fixas da empresa.

Também é importante ficar atento quando tiver cheque não compensado, que pode dar a falsa impressão de que o dinheiro está disponível.

Após a implantação do Fluxo de Caixa, deve-se analisar o previsto e o realizado diariamente para conferir se estão compatíveis. Caso não estejam, entender o ocorrido e, se necessário, renegociar rapidamente os prazos de pagamento e recebimento para evitar prejuízos.

Este planejamento possibilitará uma visualização completa, proporcionando melhor organização das entradas e saídas. Consequentemente, contribuirá para decisões mais adequadas para a saúde financeira da empresa.

Escrito por:
Francisco Barbosa Neto

Diretor da DSD Consultores, iniciou sua atividades em 1989 com atuação em Gestão Empresarial. Como consultor, tem ajudado as pessoas a não perderem dinheiro com o seu negócio, mostrando uma nova maneira de pensar, agir e medir com relação à gestão financeira.