Logo Projeto DSD Consultores

Finanças, Fluxo de Caixa, Planejamento - 07/02/2020

Elaborei meu Fluxo de Caixa. E agora?

Veja seis dicas para facilitar a gestão financeira da empresa utilizando o Fluxo de Caixa.

Certo dia, em uma conversa informal, um empresário me disse: “Eu elaborei meu Fluxo de Caixa para controlar melhor o dinheiro da empresa, visualizei meus saldos de caixa e até tentei fazer uma projeção futura das finanças, mas confesso que acabei desistindo porque não sei muito bem como colocar esse conhecimento em prática.”

O fato é que a maioria dos empresários brasileiros, em virtude da nossa cultura pouco familiarizada com finanças, não sabe exatamente como administrar o seu Fluxo de Caixa. Com isso, essas pessoas até chegam a elaborá-lo, mas desistem de utilizá-lo ainda no início, ficando impossibilitadas de controlar, efetivamente, as finanças da sua empresa.

Entretanto, o Fluxo de Caixa, quando atualizado adequadamente, não é nenhum “bicho de sete cabeças”. Pelo contrário: É um excelente método para organizar o seu dinheiro e proporcionar uma visão real da liquidez do seu negócio.

Para ajudá-lo a quebrar essa barreira imposta pela nossa sociedade e a encontrar uma forma prática de você assumir as rédeas da sua empresa, deixarei seis dicas de utilização do Fluxo de Caixa:

1 – Atualize e avalie o seu Fluxo de Caixa todos os dias

Um erro muito comum para quem elabora seu Fluxo de Caixa pela primeira vez, é achar que só deve atualizá-lo esporadicamente. Há quem o faça uma vez por semana, ou mesmo uma vez por mês. O problema é que uma empresa geralmente tem entradas e saídas de dinheiro todos os dias. Se o empresário foca apenas nos resultados semanais ou mensais, ele não consegue ter uma visão diária real das suas finanças.

2 – Entenda os números do seu negócio

Por mais que essa seja uma dificuldade natural do brasileiro, não há como sustentar um negócio por muito tempo sem compreender as suas finanças. É preciso buscar informação constantemente para entender o que acontece com o seu dinheiro, como e porquê e acompanhar de perto o seu Fluxo de Caixa. Esse é o tipo de tarefa que não se pode deixar a cargo de terceiros.

3 – Não confunda a visão gerencial com a visão contábil

Você não pode esperar que o contador resolva os problemas financeiros da sua empresa. Esse é um profissional importante, mas a sua visão é apenas contábil. Isso quer dizer que ele contabiliza tudo o que foi negociado, mas que não necessariamente será pago ou recebido.

O empresário precisa ter uma visão gerencial do seu negócio, que só o Fluxo de Caixa pode lhe dar. Assim, ele terá informações completas sobre o que de fato aconteceu a cada dia, independentemente das datas das negociações. Entender essa diferença e assumir sua própria responsabilidade nesse gerenciamento é imprescindível para manter o controle adequado das finanças da empresa.

4 – Não se engane: o que sobra no caixa não é lucro!

Quantas vezes nos vemos tentados a gastar o dinheiro que sobra no caixa sem planejamento, pois temos a sensação que sobrou e que, por isso, podemos utilizar esse valor à vontade? Essa, porém, é uma das maiores armadilhas que leva o empresário ao fundo do poço!

Acontece que o dinheiro do caixa é, nada mais, nada menos, do que o dinheiro que o empresário tem para pagar as contas do dia a dia, já assumidas anteriormente. Ou seja, é a liquidez do seu negócio. Se ele gastar esse dinheiro sem planejamento, certamente faltará para pagar as contas nos próximos dias.

5 – Ajuste as datas de recebimentos e pagamentos

O Fluxo de caixa é uma ferramenta maravilhosa para ajudá-lo a ter uma visão ampla sobre os valores e as datas das contas a receber e a pagar e a situação financeira da empresa (liquidez) em cada data. Essa visão é importante para que você possa ajustar as datas de maneira que não falte dinheiro no dia de determinados pagamentos.

Se você recebe de um cliente no dia sete, por exemplo, mas a conta do fornecedor vence no dia cinco, serão dois dias pagando juros, todo mês. Agora imagine isso acontecendo com várias contas! Se não há um controle adequado, você acaba gastando com juros, sem nem ter ciência disso.

6 – Faça uma previsão para os próximos meses

A melhor forma de evitar problemas futuros é fazendo uma previsão e um planejamento com dados reais. Se você tem uma lanchonete em frente a uma escola e se programa para receber um movimento menor de clientes no mês de julho, devido às férias escolares, a chance faltar dinheiro para as contas nesse período é menor.

Por isso, é fundamental fazer uma previsão de entradas e saídas de dinheiro no caixa para os próximos meses, de maneira que você saiba o quanto pode gastar e economizar neste período e quais estratégias precisa adotar para manter o seu negócio seguro financeiramente.

Sendo assim, estabeleça uma rotina diária de controle do Fluxo de Caixa e faça comparativos do previsto x realizado para se precaver e não perder mais dinheiro com o seu negócio.

Para saber mais sobre gestão de Fluxo de Caixa e ferramentas práticas que você pode usar para facilitar o controle financeiro, visite o site do Sistema Fluxo de Caixa Online.

Imagem de Startup Stock Photos por Pexels.

Escrito por:
Francisco Barbosa Neto

Diretor da DSD Consultores, iniciou sua atividades em 1989 com atuação em Gestão Empresarial. Como consultor, tem ajudado as pessoas a não perderem dinheiro com o seu negócio, mostrando uma nova maneira de pensar, agir e medir com relação à gestão financeira.