Projeto DSD Consultores

Administração, Finanças, Fluxo de Caixa - 23/11/2018

Quais os principais erros em gestão financeira

Veja quais os principais erros em gestão financeira e como não cometê-los.

Há alguns anos eu venho acompanhando a história de empreendedores que têm grandes ideias, mas que enfrentam graves problemas por não perceberem que estão caindo nos mais comuns erros em gestão financeira.

Mas, embora muitas pessoas estejam passando por isso, atualmente, essas questões podem ser ajustadas facilmente. Tudo depende da forma de enxergar o cenário e da sua disposição para mudar!

Portanto, fique atento aos principais erros em gestão financeira que os empresários cometem e entenda como agir em seu negócio.

 

Não admitir os próprios erros em gestão financeira

A primeira coisa que as pessoas falam, quando passam por dificuldade financeira na empresa, é sobre a situação do país. Então seguem reclamando do governo, da economia, dos juros bancários, da inadimplência, da concorrência, da falta de clientes… E se esquecem do poder que têm em suas mãos, com a gestão do próprio negócio.

Porém, por mais que o mundo esteja caótico lá fora, é você, empresário, que determina o rumo da sua empresa. Porque as respostas para os problemas, na verdade, estão aí dentro. Ou seja, os fatores externos podem até interferir, mas é da porta para dentro que as transformações acontecem, depende da sua decisão.

Então, em vez de reclamar das coisas que fogem do seu controle, você pode conduzir alguns desses problemas com soluções como:

  • estabelecer limites com seus clientes para se proteger da inadimplência;
  • não confundir custo e despesas;
  • aprender a precificar;
  • jamais misturar CNPJ x CPF;
  • estabelecer um propósito para a sua empresa;
  • mudar a forma de comunicar o seu cliente;
  • reinventar-se para superar a concorrência…

Mas é preciso estar disposto a olhar para o negócio. A tomar para si a responsabilidade da resolução dos problemas. Porque, depois desse primeiro passo, e de arregaçar as mangas, o resultado virá. E o mérito também será todo seu!

 

Não olhar para os números do negócio

É natural do brasileiro não se aprofundar no assunto de finanças. Simplesmente porque não fomos ensinados assim, não faz parte da nossa cultura e educação. Aprendemos fórmulas prontas na escola, fomos condicionados a seguir sistemas fechados e não desenvolvemos a habilidade de questionar e ousar.

Só que para gerenciar o financeiro de uma empresa, é preciso muito mais do que saber fórmulas de matemática. É preciso enxergar a sua situação no presente e ser capaz de se preparar adequadamente para o futuro!

Mas, embora pareça complicado, essa análise pode ser feita com tranquilidade utilizando recursos como um Fluxo de Caixa.

Basta criar o hábito de lançar diariamente as informações de entradas e saídas do caixa, fazer conciliação bancária e registrar a programação das próximas ações financeiras para que você tenha o cenário econômico real da sua empresa ao alcance dos seus olhos.

Com esses dados, você consegue saber o que pode e o que não pode gastar, e garantir que não vai faltar dinheiro para pagar as contas do dia a dia.

 

Aumentar as vendas de produtos com menos margem de contribuição

Já aconteceu de você movimentar sua equipe para aumentar as vendas, esperando melhorar a situação financeira, e parecer que tudo piorou? Se você já sentiu isso, muito provavelmente foi porque impulsionou a venda de produtos com margem baixa de contribuição que é a relação (preço – imposto – comissão – custo).

Isso acontece porque às vezes dá a impressão de que vender muito vai resolver o problema. Então as pessoas caem no erro de baratear o produto demais, ou oferecer aqueles que são “mais em conta”. É preciso conciliar o trinômio perfeito preço, custo e quantidade.

Uma boa estratégia, por exemplo, é combinar com seus vendedores de oferecerem os produtos pelo preço que quiserem, com as promoções que julgarem relevantes em cada negociação, desde que o valor do pedido esteja dentro de uma margem de contribuição pré-estabelecida, por exemplo 40%.

 

Deixar dinheiro parado no estoque

Tem muita empresa que tem lucro, mas que frequentemente falta dinheiro no caixa, “sem explicação”. Enquanto isso, o empresário faz um esforço grande para abastecer seu estoque e não se dá conta de que boa parte do dinheiro que falta no caixa está no acúmulo de produtos parados.

Isso é comum com empresários que querem garantir que o cliente seja atendido prontamente com o que solicitou. Mas é preciso considerar que estoque cheio não é sinal de vendas. É apenas mais um ponto de “armazenamento de dinheiro”.

Sendo assim, em vez de se preocupar em manter o estoque cheio, observe quais são os produtos que vendem mais e quais os que têm mais margem de contribuição. Então faça uma estimativa de quanto é preciso manter, de cada categoria, para estocar somente o necessário.

Dessa forma você evita investir no estoque e pode usar esse dinheiro para as necessidades reais da empresa, sem ter que recorrer a terceiros, nem se sujeitar a juros.

 

Vender o que faz (e não o porquê de fazer)

Por fim, um dos grandes erros em gestão financeira que vejo, que compromete totalmente a trajetória do negócio, é o empreendedor vender o como e o que faz, e não o porquê de fazer. Pois os clientes se envolvem com a compra pela emoção, justificado pela razão.

Consequentemente, o que os cativa é sua história e a motivação do seu negócio, e não os atributos do seu produto. Independentemente de qual seja seu ramo de atividade, com certeza a sua mercadoria, produto ou serviço ajudará alguém a eliminar algum tipo de dor.

Então pergunte a si mesmo: “Como é que o meu negócio agrega valor para a pessoa? Do que ela realmente precisa?”. Pois ninguém compra mercadoria, produto ou serviço em si, mas a sensação adquirida ao obtê-lo e o que ele representa em sua vida. Como a Disney, que entrega diversão e vende felicidade, por exemplo.

Portanto, olhe para a essência do seu negócio, pense estrategicamente e dê o seu melhor para os seus clientes. Considere que, olhando para dentro, você pode encontrar as soluções necessárias para não cair mais nesses erros em gestão financeira e, assim, criar condições para fazer o seu sonho acontecer.

 

Escrito por:
Francisco Barbosa Neto

Diretor da DSD Consultores, iniciou sua atividades em 1989 com atuação em Gestão Empresarial. Como consultor, tem ajudado as pessoas a não perderem dinheiro com o seu negócio, mostrando uma nova maneira de pensar, agir e medir com relação à gestão financeira.

mautic is open source marketing automation